quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Tales & Fables: Pequenino Okat

Era um ser tão pequenino, que sonhava e sonhava em ser grandinho, crescido. Queria alcançar o que ninguém antes dele havia alcançado, pra que um dia lembrassem dele.

Okat, o grande.
Soava bem. Muito bem.

Okat, o magnífico.
Só estão fazendo jus a grandeza dele.

Canções seriam cantadas. Aquela horinha do dia em que as vovós contam histórias para seus netinhos seria recheada pelos feitos de Okat, o grande. Talvez pelos feitos de Okat, o magnífico. Soava bem.

Pobre Okat, tão pequeno. Nasceu bem, mas só tinha ambição em sua cabecinha. Nenhum espacinho reservado para uma pitada de inteligência. Ou quem sabe amor... Seria útil. Nem que fosse um pouquinho daquele tal do "jeito malandro". Pobre Okat, tão pequeno. Na falta disso tudo, ele podia pegar um machado e sair cortando as pessoas por aí, enquanto fingia ler que a porta abre puxando e não empurrando, mas era tão, tão pequeno.

Não podia ser sempre assim. Okat pelo menos era determinado. Determinação vale de alguma coisa? Creio que sim.

Oh, Okat! Onde pensa que está colocando essas mãozinhas?

Aquela coisa brilhante no castelo da anjinha parecia ser o que o pequeno Okat precisava para se tornar grande. Estava bem guardada, mas adivinhem: o ambicioso Okat era pequeno demais para ser descoberto! Exceto pela anjinha.

Em nada que não seja meu, minha senhora.

Oh, pequenino Okat.
Se você se dedicasse às coisas certas, veria que pode fazer muito mais do que pensa. E isso sem pegar as coisas brilhantes de sua senhora.

É MEU, MINHA SENHORA!
AGORA SOU O GRANDIOSO OKAT.
SOA BEM, NÃO?

O pequeno Okat era tão pequeno. Mal sabia que não podia mexer nas coisas brilhantes da anjinha. O papai de cauda já tinha avisado, mas Okat era pequeno demais pra ouvir.

Se ser reconhecido é o que quer, pequeno Okat, então seja reconhecido. Reconhecido como o pequenino que pegou as coisas brilhantes de sua senhora e foi mandado pra longe para aprender e ir crescendo. Quando o pequenino Okat voltar, já não será tão pequenino, mas nunca será o grandioso Okat.

Okat? O Okat eu? RECONHECIDO...

Okat, o exilado. O que me diz?

Soa bem, minha senhora.
Soa bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário